A Aposta – 8.2

Acabamos adormecendo no meio de tantos beijos e palavras compromissórias. Mas sabe a sensação de estar dormindo e a pessoa ao seu lado acordada? Então, eu sentia isso. 
E não demorou muito pra eu abrir os olhos e ver Gabriela ao meu lado, deitada, me olhando. 
-O que você está fazendo? –Sussurrei, rindo um pouco. 
-Vendo você dormir, ué. 
-Você é meio maluca, não é? 
-É bonitinho.
Ri, baixinho, abrindo mais os olhos e olhando-a melhor. 
-São que horas?
-3 da manhã. 
-Você tem aula hoje, sabia? –Ela assentiu, ainda me olhando, sem falar nada. –E não vai dormir? 
-Desde que meus pais se separaram eu não durmo bem. Não foi atoa que nos conhecemos em um BAR,não é? –Nós rimos um pouco. 
-Quer que eu faça alguma coisa pra você comer? 
-São 3 da manha, Noah. Está de sacanagem, não é? 
-Não, ué. –Dei de ombros, acariciando seu rosto com as costas de minhas mão –Se você quiser.. 
-Quer ver um filme? –Bufei –Você oferece COZINHAR pra mim, mas não quer ver um filme? 
-Vou acabar dormindo. Se eu cozinhar, me mantenho acordado, pelo menos.
-Certo. O que você faria? 
-Um chocolate quente, ou um chá. Você iria dormir rapidinho. 
-Será? –Ela deu um sorriso tão lindo. 
-Com certeza. 
-Então, faça. 
-Não vai ficar aqui em cima, né? –Perguntei, me levantando aos poucos. 
-Não, não. Vamos. 
Gabriela desceu comigo, ainda bem que seu irmão já devia estar em seu 4º sono. Porque nem tinha sinal dele ali embaixo. Ela foi pra sala e ficou vendo TV, enquanto eu fazia o chocolate quente pra ela. 
-Se for assim, vou acabar indo morar com você. 
-Não ia te aguentar por muito tempo. –Na hora que eu disse, senti suas mãos deslizarem por minha cintura, ela estava me abraçando por trás mesmo. 
-Você sabe que não precisava estar fazendo isso, não sabe? 
-Eu não me importo. Também tenho insônia as vezes.
Coloquei o chocolate na xícara e ela continuou encostada na bancada da cozinha, me olhando. Entreguei a ela, e ela finalmente disse: 
-Você sabe do que eu estou falando, Noah. 
Apenas fiquei olhando pra Gabi e assenti. Não tinha o que dizer.
-Quer voltar atrás e fingir que nada aconteceu? 
-Eu poderia. 
-Hum. –Eu disse, ainda parado, de braços cruzados. 
-Mas não vou, como não quero fazer isso. 
-Então pra que o lance do namoro, e tudo mais? A gente podia levar isso numa boa.. sabe.. 
-Você não conhece meus pais, Noah. Vai ver terça feira. 
-Eles estão de bem, com a separação? 
-Se falam, ainda. Mas por poucas horas.. se é que me entende. –Assenti 
-Mas o que diz respeito a sua vida amorosa, acho que eles não teriam que se meter, não é? 
-Não é tão fácil assim quanto você pensa. –ela foi até a sala, e se sentou. Fui atrás dela, e me sentei ao seu lado, quando ela continuou –Eu vou ficar aqui no meu irmão por um tempo porque sei que minha mãe vai estar mais insuportável do que o normal. Mas depois, vou ter que escolher um dos dois. 
-Entendi. 
-E não vai ser nada fácil. E eu não quero ser motivo pra eles se preocuparem com algo agora. 
-Tenho a impressão de que nunca se preocuparam antes. 
-Exatamente. Só cobraram. E cobram, ainda.
-Mas agora eu estou aqui. –Eu disse afagando sua coxa. –O que você precisar, eu estou. 
-Eu sei. O namoro, é uma fachada pra eles não ficarem no nosso pé. Mas o que eu sinto é real. 
-E o que você sente? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *