A Estagiária – 20

-Bom dia, queridan. – Ariel disse, chegando ao meu lado e me dando um beijo na cabeça. 
-Bom dia, meu bem. 
-E aí, como estamos?
-Muito bem. Estamos muito bem. – ri, animada. – o que me conta?
-Voce vai na festa amanha?
-A FESTA É AMANHA? 
Fudeu. 
No meio da semana? Tendo que trabalhar no dia seguinte?
-Nossa, mas voce nunca sabe de nada, Hanna, credo! Sim, é amanha! O que, voce nao tem uma roupa? – revirou os olhos, ja sabendo do bordao de toda mulher na hora de sair. 
-Nao tenho mesmo. – ri, sem graça. – no almoço eu saio pra ver umas lojas.. 
-Eu posso ir com voce, se quiser. Mas logo aviso: nao tenho limites e por mim, voce ia nua pra pegar de vez o nosso principe. 
Dei um tapa em seu braço, rindo. 
-Voce realmente nao tem limites.
-Por que que ele nao tem limites? – Camille chegou, rindo junto com a gente.
-Ah, ele é assim, né. – falei, meio sem graça. – precisa de ajuda pra algo?
-Hum, só queria que voce levasse uns papeis na xerox. Tem como?
-Claro. 

Na hora do meu almoço, comi um sanduiche bem rapidinho com o pessoal e fui dar uma olhada nas lojas que tinha ali perto, a fim de ver se eu achava alguma roupa pra mais tarde. 
No meio dessa correria, encontrei com Tina, minha amiga de faculdade, quando estava quase entrando em outra loja, onde vi um macaquinho florido lindo. 
-Ei, sua puta que desaparece sempre! – ela disse assim que me viu e veio me abraçar.
-Eu nunca tenho tempo pra nada! – ri, abraçando-a de volta. –e ai, como voce ta?
-Bem.. Trabalhando nuns projetos, como sempre. E voce, e o novo emprego?
-Ta maravilhoso. Fui promovida a assistente do chefe agora. – fiz uma pose, brincando. 
-E a assistente do chefe precisa comprar roupa hoje, porque..?
-Ah, vai ter uma festa amanha no clube que o pessoal todo vai e eu resolvi colar junto. – ela ergueu a sobrancelha, surpresa. Ela sabe que sempre foi raro eu ir pra festa com um bando de gente. – acho que vou levar aquele macaquinho ali. O que acha?
-Experimente pra gente ver.
Entramos na loja, pedi o menor tamanho que tinha do macaquinho e assim que experimentei, sabia: era aquele. 
Ele tinha um decote V no meio e ficou um pouco coladinho no meu corpo. Estava perfeito pra ocasiao. 
-Cacete! Voce tá maravilhosa! Definitivamente: é esse! – Tina disse animada, assim que eu saí do provador. 
-Tem certeza? Nao é muito.. sei la, indecente?
-Amiga, a indecencia ta na mente de quem a ve.. Só to vendo coisa boa aí. – nós rimos. 
-Entao vai ser esse mesmo. 
Enquanto eu pagava, ela se debruçou no balcao e falou baixinho: 
-Conheço um cara que ia amar te ver nesse macaquinho, sabia?
-Mentira?- sorri, erguendo a sobrancelha, um pouco surpresa.- Quem é o louco da vez?
Tina tem fama de me apresentar só cara estranho. Sério. 
-Hum.. Ele pediu pra manter em segredo absoluto. Acho que logo voce vai sacar quem é. 
Com certeza é algum cara da faculdade que eu nao faço ideia de quem seja. Oh, Deus. 
-Ta bem entao. –ri, saindo com ela da loja. – preciso voltar já pra empresa, ok? A gente se ve!
-Claro, mas vamos marcar de sair mais vezes, sua louca. Ve se nao some.
-Pode deixar, beijo!
Atravessei algumas ruas e em minutos eu já estava na empresa. 
Thomas tinha saído pra resolver algumas coisas, segundo sua secretaria, e eu fiquei encarregada de marcar uns compromissos pra ele, na semana seguinte. Fiquei fazendo isso até dar a minha hora e eu finalmente poder ir pra casa. 

Quarta foi um dia meio morto na empresa, quase nao vi Thomas, porque ele teve que resolver “problemas” na casa dele, e fiquei sentada, o tempo todo, só respondendo e vendo novos emails. 
A noite começou a correria. 
Fui o mais rapido possivel pra casa, tomei um banho, pus meu novo macaquinho, um salto e fiz uma make bem bonita. Arrumei meu cabelo, peguei minha bolsa e chamei um táxi. 
Ao chegar no clube, estava tocando The Chainsmokers – closer. Minha musica. 
-Voce tá um arraso, menina! – Ariel disse, me encontrando no bar. Claro.
-Voce achou? Brigada! Cade o resto do pessoal?
-Bem, vi Camille conversando com Thomas ali por perto e Chris e as garotas estão dançando. Quer vir conosco?
-Com certeza! 
Me juntei a eles e comecei a dançar. Era tao bom estar com essa energia de novo.. 
-Oi. – só pelo perfume que senti, sabia que era Thomas ao meu lado.
-Oie! – dei um beijo em sua bochecha. – e aí. 
-Voce ta linda. – sorriu, me olhando. – quer um drink?
-Com certeza. 
Fomos em direçao ao bar, ele pediu dois shots pra gente e disse: 
-Quase nao te vi hoje na empresa.. 
-É. Foi um dia morto pra mim e agitado pra voce.
-Ta sendo ruim ser minha assistente?
Ta sendo ruim ser  sua assistente. 
Ops. 
-Nao, eu gosto assim. Trabalho é bom pra ocupar a mente. 
-Voce precisa manter sua mente ocupada? 
-Talvez. –eu disse, rindo, antes de virar meu shot. 

-Acho que sei como fazer isso. – ele disse me puxando pra fora dali e de volta pra onde todos estavam dançando uma eletronica muito boa. 

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *