A Estagiária – 27

-Hanna? – ouvi a voz de Thomas se aproximar, quase vinte minutos depois d’eu estar presa ali dentro. Levantei-me atrapalhada, mas quando o fiz, Thomas foi mais rapido e entrou na despensa, deixando a porta bater atrás de si. 
-Thomas, a porta só abre por f.. – E ja era tarde demais. 
-Caralho. – ouvi ele se virar pra porta e tentar abri-la. – caralho! A porta só abre por fora quando nao tem luz! 
-Percebi. – falei numa voz fraca, cansada, permitindo-me escorregar pela parede e me sentar no chao, de novo. 
-Que merda! Puta que pariu, puta que pariu! – ele disse, puto da vida, chutando a porta. – eu vou mandar tirar essa merda daqui assim que sairmos daqui!
-Acho que é uma boa ideia. 
-Onde voce tá?
-Aqui nos fundos, sentada no chao.
Ouvi Thomas se aproximar e chutar meus pés.
-AI!
-Foi sem querer, nao consigo enxergar nada. 
-É, deu pra perceber. 
-Tem uma janelinha em cima de um armário, vou tentar abri-la pra ver se entra um pouco de claridade aqui. 
-Ta bem.  –concordei.
Minutos depois, só vi uma flecha de luz entrar e pude ver exatamente tudo ao redor, graças a Deus. 
-Assim está melhor. – suspirei, aliviada. 
-Tem medo do escuro?
-Se eu tivesse, voce teria me encontrado desmaiada aqui. – ele riu assim que eu disse, vindo se sentar ao meu lado. 
-Cara.. – entao, ele voltou a rir. Franzi o cenho, olhando pra ele. –isso é inacreditavel, sério. 
-É. É uma merda ficar sem luz e trancada na despensa com seu chefe. 
-Nao, nao é disso que to falando. – olhou pra mim. – quer dizer, quase. 
-O que é entao?
-Tinha que ser voce aqui, sabe? Voce! 
-Que que tem eu? – meu coraçao começou a acelerar.
-Voce nao ve, Hanna? Nao percebeu? 
-Thomas, eu acho melhor.. 
Antes que eu pudesse continuar a falar, inventar uma desculpa qualquer, dizer que tenho um tumor contagioso e que ele iria morrer em dez minutos, Thomas me beijou. 
Ele me beijou de verdade.
Senti uma de suas mãos em minha nuca aproximar meu rosto pro seu, nossas bocas se encostarem devagarzinho e um longo beijo começar a se desenrolar ali. Meu Deus, foi tão bom. 
Dizem que quando voce beija A pessoa, voce sabe, voce sente. Parece loucura, mas juro que eu senti. 
Pus minhas maos ao redor de seu pescoço e deixei ele me beijar. Aceitei aquele beijo. Devolvi aquele beijo. 
Eu queria aquele beijo. 
Fomos perdendo o ritmo aos poucos, e depois de alguns selinhos, paramos o beijo, mas ainda permanecendo bem perto um do outro. 
-Voce viu agora? –sussurrou, me olhando.

-Acho que ainda ta meio escuro aqui, na verdade. –disse eu rindo e beijando-o logo apos, de novo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *