A Estagiária – 28

Meia hora depois de mais beijos, o celular de Thomas tocou em seu bolso.
O celular dele.
-Porra, voce ta com o celular? – eu disse, me levantando.
-Caralho, to?! To! – ele disse, me olhando, todo feliz. 
Ele havia esquecido que estava com seu celular o tempo todo. Puta merda.
Nao sabia se ficava puta ou agradecia por isso. 
Na hora ele pegou o mesmo e ligou pra gerencia do predio, pedindo pra alguem subir e vir nos tirar daqui. Nem dez minutos se passaram e um empregado do predio fez isso, graças a Deus. 
Saí e corri pra cozinha, eu precisava de agua.
-Desculpe por isso, Hanna. – disse ele, indo atras de mim. – eu juro que nao sabia que estava com meu celular.
-Tudo bem. – eu o respondi, sem conseguir olha-lo nos olhos. Eu estava morrendo de vergonha. 
-Voce precisa de alguma coisa, está se sentindo bem?
-Na verdade, só preciso ir trabalhar, mesmo. – falei, passando por ele rapidamente e indo pro meu box. 
Terminei tudo o que eu tinha que fazer até as 17 horas. 
-Eu terminei tudo, posso ir pra casa? – falei, indo pra sua sala. Ele havia voltado pra lá depois daquele momento nosso na dispensa. 
-Claro, sem problemas. – ele disse me olhando, com o mesmo olhar preocupado de antes. 
Ia embora, mas antes que eu pudesse, ele disse:
-Hanna. – virei-me, suspirando. – Voce nao acha que deviamos conversar sobre o que aconteceu?
-Nada aconteceu, ok? Boa tarde e até amanha. – eu disse, curta e grossa, saindo dali o mais rapido possivel.
Eu nao fazia ideia do que estava fazendo. 

No instante em que eu acordei, no dia seguinte, pareceu que todos os momentos da noite anterior vieram a minha mente. 
OK, não todos, especificamente um. Só um. 
Nao sei como havia me deixado levar daquela forma, ou se eu tinha entendido tudo errado, desde o começo.. 
Forcei-me a levantar da cama, meio aturdida e sem saber como que eu iria lidar com aquela situação do trabalho – ou nao iria? – fiz meu café, preparei minhas torradas e fui pro banho. 
Depois disso, coloquei uma jeans skinny, uma jaqueta marrom e uma blusa de rendinha branca. Nao queria chamar muita atenção no trabalho hoje. Chamar atenção hoje era a ultima coisa que eu pretendia fazer.
Fui trabalhar com a cara e a coragem. 
Ao chegar lá, o pessoal já estava todo em seus boxes, trabalhando, e nem me atrevi a chegar na sala de Thomas: fui direto pro meu box e comecei a fazer o que deveria ser feito. 
Cerca de uma hora depois, Ariel passou por mim –em direçao a sala de Thomas- e depois parou e voltou, dizendo: 
-Menina! Achei que voce nem tivesse vindo trabalhar hoje.. Ta aqui quietinha por que, huh?
-No almoço a gente conversa. Pode ser?
-Ih, ja vi que é treta! Tu ta legal?
-Sim, sim. Nao se preocupe, nada demais. – sorri, piscando pra ele, que ainda me olhava desconfiado. – É seeerio!
-Ta bem entao. 
Ariel foi a sala de Thomas, fez o que tinha de fazer e minutos depois voltou, dizendo: 
-O poderoso chefão veio me perguntar se voce ja tinha chegado. Pediu pra que eu te avisasse pra depois que voce acabar seu expediente, passar na sala dele. 
Um frio subiu pela minha espinha.
Vou ser demitida. De novo. 
-Tudo bem. – disse com o pouco de animo que me restava. 
-A gente precisa mesmo conversar, ein!

Lancei-lhe um olhar de “voce nem imagina”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *