Nosso ritmo – 21

-Deve. –Austin disse olhando pela janela. –Desde quando ele foi transferido e acordou, nao para de dizer que tem que falar com voce. 
Ignorei a forma brusca e desnecessária que Austin disse aquilo e simplesmente entrei logo no quarto. David na hora estava com a cabeça deitada de lado, mas assim que entrei ele virou pra frente, me olhou e me deu um sorriso bem fraquinho. 
-Oie. –Eu disse sorrindo e me aproximando aos poucos. 
Fiquei do lado dele mesmo, e ele logo fez um esforço pra se sentar e poder falar.
-Que bom que você veio, amy. 
-Foi um prazer. –Sorri –Como o senhor se sente? 
-David, por favor. –Ele riu um pouco e tossiu logo depois –Poderia estar melhor. Mas estamos indo né.. 
-É. Mas voce é forte. Já passou por tantas nao é? 
-É. E eu preciso te contar uma coisa, Amy. E preciso que voce me perdoe por isso. 
-Pode falar, David. –Assenti, com o coração a mil. 
-Você se lembra daquela noite em que saiu aqui com meu filho? Voces foram a praia..? 
-Sim, eu lembro. 
-Austin nao mentiu pra voce quando disse algo sobre eu ter mandado paparazzis. Eu queria que fosse publicada alguma notícia do Austin pra abafar uma outra bomba que a TMZ ia lançar. Então, as fotos foram divulgadas e foi como eu imaginei. Eles nao publicaram a noticia..
-Que notícia? 
-Nao era nada demais. Coisa do passado. –Notei que David suspirou e evitou olhar em meus olhos.
-David, eu sei que voce sente muito pelo lance dos paparazzis. Mas eu conheco voce, e sei que voce nao é o cara que faz as coisas sem ter um motivo. E é óbvio que a noticia que o TMZ iria publicar se voce nao tivesse lançado as fotos, era algo sobre mim ou sobre Austin. Isso voce precisa me dizer.
-Eu nao posso. –David me olhou com os olhos cheios de lágrimas. –Me perdoe, Amy. Eu nao posso.
-Como assim nao pode? Voce precisa! É algo sobre mim? David, voce.. 
-Nao, nao, Amy. Isso voce terá de descobrir sozinha. 
-Como eu vou descobrir, se nem sei do que se trata? 
-Logo voce saberá. Pode confiar em mim. 
-Co-licença? David, está na hora do seu exame. –Uma enfermeira baixinha entrou no quarto. 
-Sim, vamos. 
-Mas David.. 
-Vá pra casa, Amy. É a melhor coisa que voce faz agora. Acredite. –Franzi o cenho –E mais uma vez, me perdoe por tudo isso. Nao foi culpa do meu filho. 
-Melhoras, Sr. Butler. –Eu disse saindo da sala de cabeça baixa e explodindo com tantas e tantas possibilidades de coisas que passavam pela minha cabeça. 
-E entao? Como foi, querida? –Lori logo perguntou nervosa. 
-Foi.. Bem. –Respondi, olhando pra Ashley que ainda brincava, quietinha com sua boneca. –Ele está indo fazer o exame agora. 
-É, está no horário mesmo. Stella, hoje voce vai ensaiar com o Dylan? 
-Acho que vou.. Por que? 
-Eu ia lhe pedir pra voce ficar com a Ashley só até a hora do almoço. Porque eu preciso preencher uma papelada de coisas sobre a transferencia do David e essas coisas.. 
-Sem problemas, Lori. Pode deixar comigo.
-Austin, pode deixa-las em casa, nao é? 
-Claro. –Austin levantou e começou a pegar as coisas da Ashley no canto da cadeira. 
-Vamos, Ash? Hoje voce vai ficar comigo ok? 
-Ste-Ste! –Ela veio pro meu colo toda sorridente. 
-Que nada, Lori. O que precisar me liga, ok? 
-Eu vou resolver as coisas por aqui o mais rapido possivel, nao se preocupe. –Assenti –Até logo! Seguimos até o estacionamento, onde estava o carro de Austin, coloquei Ash na cadeirinha atrás e me sentei na frente, logo depois que ele o fez também. 
-Quer comprar um almoço? Eu nao sei cozinhar e ontem nao comi nada o dia inteiro.. –Austin perguntou, ligando o carro e ajeitando o cinto de segurança.
-Nao precisa, eu cozinho.. pode ser? 
-Ta ótimo então. 
Senti meu celular vibrar no meu bolso e assim que o peguei era uma mensagem de Dylan: “nao recebo notícias suas… Tudo bem aí? L “ 
Suspiro. 
“Vou me atrasar hoje, ok? Pode ser as 16h?” –Respondi, tentando ser o mais “nao-quero-voce-no-meu-pé” possível. 
-Dylan? –Austin perguntou olhando meu celular e dando uma risada de canto de boca. Ai jesus. 
-Aham. 
-Você vai mesmo dançar com ele? 
-Vou. –Assenti. 
Austin apenas ergueu a sobrancelha, ainda prestando atenção no transito e nao disse mais nada. Mais nada mesmo. 

E meu dia estava ficando cada vez mais estranho e me fazendo me questionar até sobre Dylan e que ligação ele teria entre os Butler. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *