Nosso ritmo – 6

Acordei sentindo o braço de Austin sob minha costela, e eu ainda estava deitada da mesma forma que fui dormir, de lado, agarrada com ele. 
Olhei no relógio de cabeceira dele e já marcavam 13h da tarde. Meu Deus. 
Tirei seu braço devagarzinho de cima de mim e fui me levantando aos poucos. 
Peguei minha roupa que estava em cima de sua cadeira e entrei no banheiro. Vesti, lavei meu rosto –que estava bem inchado por sinal –mas pelo menos a enxaqueca da ressaca ainda não havia chegado (pelo menos). E quando saí, me sentei na beiradinha da cama, colocando meu all star. 
-Stella? –Ouvi Austin falar baixinho com sua voz rouca e olhei pra trás. Ele ia se sentando aos poucos 
–Já vai? 
-Já? Já passa de uma da tarde, cara. Trayce vai me matar. 
-UMA DA TARDE? –Ele rapidamente se levantou, parando em minha frente –MEU DEUS, EU TENHO TREINO DE GOLF COM MEU PAI AS 14H, ELE VAI ME MATAR. VOCE PODE IR PRA CASA SOZINHA? 
-Claro. 
-ME PERDOA! –Austin ainda dizia assustado –Eu me esqueci completamente.. Voce vai ficar bem, não é? 
-Claro. –Dei de ombros, rindo. 
Eu já esperava essa situação toda. E como eu esperava, mas não queria mesmo acreditar, era que tudo continuava da mesma forma que antes. 
-Vai mesmo? –Ele se debruçou em minha direção, levantando minha cabeça enquanto eu terminava de arrumar minha calça e me dando um selinho.
-Vou, não se preocupe. 
Levantei-me, peguei meu celular e antes de sair do quarto, falei: 
-Nos vemos. 
-Posso passar lá depois do treino? 
-Eu te ligo. –Sorri, abrindo a porta. –Obrigada por ontem. 
Saí logo da casa antes que Lori ou até mesmo seu pai me abordasse e viesse fazer perguntas que eu ainda nem sei quais seriam as respostas certas –ou se até mesmo, se teria alguma resposta! –e voltei andando mesmo pra casa. No meio do caminho, meu celular vibrou e vi que era uma mensagem de Jane. 
´´Você já está vindo? Se não, é melhor vir, amiga.´´ 
Meu corpo gelou completamente. Quando Jane falava dessa forma e ainda acrescentava um “amiga” no final, era porque as coisas não estavam nada bem: tive a sensação de que estariam pior do que eu imaginava. 
´´Estou indo, estou indo a pé, mas quando chegar lhe explico tudo, não se preocupe. ´´ -Enviei, e tratei logo de apressar o passo. 
Eu já me preparava para o pior, mas a angustia de saber logo o que tinha/estava rolando era maior, então eu cheguei em casa em questão de 10 minutos. 
Quando cheguei, só encontrei de cara Trayce sentada no sofá, assistindo TV e Jane ao seu lado, segurando o celular e nervosa, pelo que percebi. 
-Oi gente. –Falei numa voz meio tremula, deixando minhas chaves e o celular em cima da mesa perto da porta. 
-Oi querida. –Trayce logo falou. 
E aquilo acabou comigo. A situação estava pior do que eu podia sequer cogitar.
-Jane. 
-Oi amiga. 
-Então.. E ai? –Parei, perto das duas, colocando minhas mãos nos bolsos. 
-Não preciso nem adivinhar com quem passou a noite, não é? –Trayce logo disse. 
-Vou deixar as duas a sós. –Jane disse se levantando e indo pro quarto. 
-Trayce, eu.. 
-Não tem o que se desculpar, Stella. Eu sei que você gosta desse garoto, e você não precisa mentir pra mim, ok? Se foi se encontrar com ele, diga. Se quer se encontrar com ele, diga. Não precisarei lhe dar permissão pra isso, mas você sabe, você precisa ficar atenta ao que as suas atitudes lhe remetem.
Trayce assim que falou, bem séria, levantou do sofá e me entregou uma revista. 
Franzi o cenho e logo virei-a, olhando a capa. 
Era a TMZ. 
E na capa, estávamos eu e Austin, conversando na praia. 
Como se não bastasse as várias fotos que tiraram d’eu beijando-o sem camisa, colocaram bem grande como manchete “Parece que o gato de Holywood adora umas férias bem.. movimentadas, huh?”.
Eu não acredito que ele fez isso comigo. 


Cê acredita?!Esse moleque só apronta.. ou vocês acham que ele não tá nem envolvido nessa treta?!Fiquem ligados para saber mais!Besin, besinGiulia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *