Nosso ritmo – 8

Voltei pra casa apenas pra trocar de roupa e comecei a ligar pra Stella.
É claro que ela não me atendeu. Então, como já imaginava que teria de fazer, peguei o carro e fui até sua casa que nem um louco. 
Ela só pode estar achando que fui eu quem arrumou isso tudo. 
-O que você quer? –Como pensei, quem me atendeu foi Trayce. 
-Eu preciso conversar com a Stella.
-Ela não quer conversar com você, Austin. E não vai adiantar você insistir. Esqueça ela, rapaz. Você não se dá conta nisso? Vocês não dão certo e nem tão cedo vão dar. E se você acha que pode brincar com ela dessa forma, de fazer as besteiras e depois correr atrás.. 
-EU QUERO FALAR COM A STELLA! –Aumentei minha voz, nervoso –O QUE ACONTECE ENTRE MIM E ELA, É PRA FICAR ENTRE MIM E ELA, VOCE ME ENTENDE? Quem sabe se a gente dá certo ou não, somos só nós dois! 
-O que está acontecend.. –Stella chegou por trás de Trayce. 
Com um vestidinho lilás, bem simples e descalça, ela parecia uma garota de 8 anos quando seu pai não a deixa sair pra brincar com as amigas. 
Estava com a cara bem abatida, e o cabelo bem liso escorria por seus ombros.
-Ah. –Ela cruzou os braços, parando em minha frente. –Deixa que eu converso com ele, Trayce. 
-Stella é melhor você..
-Eu converso com ele, Trayce. –Ela reforçou a voz olhando para a treinadora –OK? 
-OK. –Trayce suspirou e entrou de volta.  
Stella fechou a porta, e eu continuei parado, ainda sem saber o que eu poderia falar para ela ter uma ideia de que não fui eu quem planejou isso tudo, e nunca o faria. 
-Voce sabe que isso aconteceria. –Ela finalmente disse, olhando em meus olhos. 
-Não fui eu quem chamou os paparazzis pra praia, Stella. Eu nunca faria isso.. 
-Não importa. Não importa se foi você, seu pai, ou até mesmo qualquer um que nos viu e achou importante deixar que todos soubessem. Você sabe que isso aconteceria uma hora ou outra, Austin. 
-Mas a gente pode dar um jeito nisso, certo? A gente.. 
-Eu não vou me esconder. 
-E por que não nos assumimos, Stella? 
-Assumir o que? –Ela me olhou, franzindo o cenho –Assumir O QUE, Butler? Você NÃO é meu namorado, você não é nem sequer um AMIGO em que eu possa confiar.
-Entao o que foi aquilo tudo noite passada? Por que você fez aquilo tudo comigo? Você estava me testando, Stella? Estava vendo até onde eu posso ir? 
-A questão não é até onde você pode ir, mas sim, aonde eu não devo ir. Aquela nossa ultima vez.. E-Eu não quero trazer aquilo tudo a tona de novo, mas.. Cara, aquilo me marcou, aquilo me assustou. E eu definitivamente não quero de novo. 
-Mas naquela época a gente nem se conhecia direito, pelo amor de Deus! 
-E a gente se conhece agora, Austin? –Ela cruzou os braços, suspirando –Está vendo como as coisas não batem mais? Como nós somos completamente diferentes? Eu estava apaixonada por você. Eu estava completamente apaixonada por você, se quer saber. E você resolveu apenas levar pro lado profissional, pro lado técnico e.. 
-Voce está de sacanagem com a minha cara, né? –Cuspi as palavras, nervoso –Como que você faz isso comigo? Você achou o que? Que eu fosse vidente? ‘’ah hoje a Stella se vestiu de tal forma APENAS pra mim, é, ela com certeza está apaixonada por mim”. Stella, cresça! Se você não falar, eu nunca vou saber! 
-OLHA SÓ QUEM ESTÁ FALANDO! –Stella aumentou o tom de sua voz, rindo ironicamente –VOCE ME PEDE PRA ASSUMIR, MAS ASSUMIR O QUE? VOCE SEQUER UMA VEZ DISSE QUE GOSTA DE MIM? OU QUE GOSTA DE PASSAR O TEMPO COMIGO? SE TOCA VOCE, BUTLER! CRESÇA VOCE! VOCE RECLAMA DO SEU PAI, MAS É IGUALZINHO A ELE! COMO VOCE DIZ QUE NÃO SABIA DE NADA NO VERÃO PASSADO, MAS AGORA, QUER ASSUMIR ALGUMA COISA? 
-Porque eu estou apaixonado por você. 
Na hora que eu finalmente o disse, eu sabia que não era a hora e foi estúpido dizer daquela forma. Mas se eu não dissesse, se eu não demonstrasse, ela nunca saberia. E seria pior. 
-Agora quem está brincando é você, Butler. –Na hora, juro que vi seus olhos inundarem de lágrimas. –Voce não sabe o que é gostar de uma pessoa, o que é realmente gostar dela. E pelo visto, nem tão cedo vai aprender. 
Stella começava a me dar as costas, mas logo segurei em seu braço e a virei pra mim. 
-Me ensina então? A gente pode fazer isso, Stella. Nós podemos ficar juntos, vamos fazer isso acontecer. Eu sei que você quer também.. –Coloquei minha mão em seu rosto e ela acariciou seu rosto na mesma. 
-Eu não posso. 
-Por que? É questão da fama? A gente pode dar um jeito nisso, eu conheço casais que não estão mais sendo oportunizados pelos paparazzis ou pela fama! 
-Porque eu não estou mais apaixonada por você. 
E foi dando quase um soco em mim com essas palavras, essas malditas palavras que eu jurava nunca ter de ouvir, que ela deu as costas pra mim e entrou em casa. 


Ouch! Essa doeu lá dentro.. Mas é como dizem.. toda mentira tem um fundo de verdade, nao é mesmo? Será que Stella vai conseguir mesmo acreditar nessa mentira que ela fica dizendo a si mesma, sobre nao estar apaixonada por Austin? Fiquem ligados que tem mais..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *