A Aposta – 18

Acordei e passei a mão no lugar vazio ao meu lado. Onde diabos Gabriela foi parar? 
Peguei meu celular em cima da mesinha ao meu lado, e vi a hora. 
Já passavam das 14h da tarde. 
Céus. Eu apaguei completamente. 
Vi que tinha uma mensagem nova, e era justamente de Gabi. Abri, e li: 
´´Sabia que voce ia apagar, haha. Sorte a sua, levantei as 7 pra vir pra esse colégio chamado INFERNO! Fiz café.. tenha um bom dia.. ´´ 
Que gracinha. Respondi, e logo depois, fui tomar um bom banho. 
Tomei café, arrumei minhas coisas, e aproveitei minha folga pra sair e dar uma caminhada. 
Quando eu esbarro logo com Sasha. 
-EEEi! –Ela disse me reconhecendo novamente com aquele sorriso encantador –Quem diria, você caminhando, ein? 
-É! Estou de bobeira por aqui.. Resolvi dar uma volta! 
-Já almoçou? Eu acabei de acordar, e estou procurando uma lanchonete por aqui.. 
-Não, pra te falar, eu também acabei de acordar..ahn.. tem uma na esquina! 
-Poxa, Noah.. não gostaria de me acompanhar? 
Eu não ia fazer isso, ela era só minha amiga, né? 
-Ahn, claro. Sem problemas.

O problema foi que, o almoço se esticou pelo resto da tarde. 
E eu nem me dei conta das trocentas ligações de Gabriela. 
Era por volta de 16h, quando eu, por costume resolvi finalmente dar uma olhada no meu celular  e vi as ligações de Gabriela. 
-Jesus. Eu preciso voltar pra casa..
-Mas já? –Sasha fez uma cara de descontamento. 
-Já? Garota, já vão dar 16h. 
-CÉUS, SÉRIO? EU PRECISO VOLTAR PRA CASA!
-E eu! Nos vemos por aí, então? Você fica até que dia? 
-Eu fico até domingo! Posso aparecer lá pra a gente se despedir? 
-Sem problemas. –Dei de ombros, abraçando-a –Foi bom te reencontrar.
-Também amei te reencontrar, Noah –Ela sussurrou em meu ouvido, rindo. 
Saí logo dali, e voltei na mesma caminhada pra casa. Troquei de roupa, colocando uma bermuda e camisa mais casual. Gabriela com certeza não deve estar nada bem. 
Peguei meu carro, e fui feito um louco pra casa dela.
-E aí, cara. –Quem me atendeu foi Eduard. 
-Fala, parceiro! Gabriela ta por ai? 
-Ela foi na casa daquela tal de Tay! 
Puta que pariu. 
-Sério? Ah. –Bufei –Mas ta tudo tranquilo, você sabe? 
-Sim. –Ele deu de ombros –Que merda tu fez, cara?
-É complicado, Eduard.. Mas eu não fiz nada não, relaxa. Ta tranquilo. Só tava preocupado com ela. 
-Po, ela saiu tem um tempo, e disse que já voltava.. não quer esperar por ela? 
-É, eu vou. 
-Entra ai, fica a vontade! 
Conversamos um pouco –oh Deus, como eu queria contar tudo a Eduard. Ele era meu parceirasso, mas com certeza não sabia das tramóias de sua irmã. E poderia não gostar disso. E isso realmente não seria nada bom –quando estava quase dando 18h, ele sugeriu pra que eu subisse, e ficasse no quarto dela esperando, pra lhe fazer uma surpresa. 
Assim o fiz. Fiquei sentado um pouco em sua cama, olhando em volta. Seu quarto era uma gracinha. Não era infantil como de uma garotinha de 14 anos, mas era aconchegante. 
Havia um quadro seu, de uma foto que ela estava parecendo uma noiva, na parede. Devia ter sido de sua festa de 15.. Estava tão linda. Aquele sorriso, aqueles olhos..
De repente, me deu uma vontade incontestável de mijar. Tinha um banheiro ali dentro mesmo, então entrei, fechei a porta, e assim o fiz. Segundos depois d’eu ter dado descarga e estava lavando minhas mãos, ouvi passos no corredor, e vozes se aproximando no quarto. 
Mas eram vozes, mesmo. Não só a de Gabriela. Continuei quietinho, pra ver quem vinha com ela. 
-Calma amiga, vai dar tudo certo.. –Era Tay. Com certeza.
Ouvi as duas já entrarem no quarto, e fechando a porta.
-Ele deu em cima da garota na sua frente? 
-Não bem na minha frente, Tay. Mas estava bem descarado, sabe? Com certeza aquela foi uma das trocentas da listinha dele.
-Listinha? –A garota riu. –Sério? 
-É um jeito de falar, boboca. –Ouvi as duas rirem agora –Mas você me entende? Ele é maior galinha, e deve estar se aproveitando de mim a cada segundo, já sabendo que sou novinha e pensando que sou bobinha. 
-Termina logo com ele e acaba com isso, Gabi! 
-Eu não posso, não por enquanto.. Se meus pais descobrirem, estou ferrada. E se começarem a achar que estou grávida? Céus! A casa cai, e cai tudo junto.
Então Taylor já sabia.
-Ninguém mandou querer perder tudo logo tão cedo. 
Perder tudo? 

Tão cedo? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *