Nosso ritmo – 22

Assim que chegamos em sua casa, Austin subiu, dizendo que ia tomar um rápido banho, enquanto eu deixei Ash na sala, brincando e começava a fazer a comida.
Ia fazer algo simples, já que nem sentia fome, muito menos vontade de cozinhar. 
-Papai, papai? –Estava terminando a comida, quando senti a bebezinha puxando minha calça, me chamando. 
Abaixei na hora ao seu lado, e sorri, infeliz, pra ela ao dizer: 
-O papai está descansando pra mais tarde brincar com voce! 
-Binca! Binca! –Ashley começou a pular, rindo e eu ria com ela.
Coitadinha.. ela era tão inocente, tão doce. 
-Isso aí. Ele já já está de volta, ok? 
-Pomete? 
-Claro que sim, querida. –Abracei-a, suspirando. –Claro que sim. 
Quando me reergui, Austin estava na pilastra, olhando nós duas o que me deixou bem sem graça ao notar. 
-Ela gosta bastante de voce. –Ele disse, cruzando os braços. 
-Eu também gosto dela. Nao é bebe? –Olhei pra ela, rindo e Ash balançou a cabeça, rindo também. –O almoço já está pronto, ok? Sirva-se e bom apetite.. 
-Voce vai pra casa? 
-Nao, nao. –Fui em direçao a sala e me sentei no sofá. 
-Se você quiser ir.. –Austin disse da cozinha. 
-Quer que eu vá? 
-Você quer mesmo que eu te responda? –Ele veio demansinho.
-Se eu perguntei, acho que sim, nao é?
-Eu nao quero que voce fique longe de mim um segundo sequer, Stella. Parece dramático, mas cada vez que voce tá longe, e eu sei que as chances de nao só ficar comigo, mas voltar pra mim, definitivamente, são zero.. só me torna pior. Eu não sei o que meu pai falou com você, mas sinceram…. 
Antes que ele continuasse com aquele blablabla de discurso decorado, discurso que ele fica horas pensando antes de dormir, eu simplesmente me levantei, e o calei com um beijo. Austin ficou assustado –e sem reaçao?- e acabou me surpreendendo mais do que ele mesmo, mas logo depois, voltou a ser o Austin que eu esperava, me jogando no sofá e se deitando sobre mim, sem descolar nossos lábios.
Minha mão deslizava por seu abdomen nu, enquanto ele fixava as suas em minha cintura e nuca. 
Antes que perdêssemos –total- controle, a campainha tocou, fazendo-o bufar, e ir atender, resmungando. 
-Dylan? –Me sentei rapidamente assim que ouvi ele dizer e me reconstitui, procurando Ash e pegando-a no colo. 
-Cara, a gente precisa conversar, a Trayce veio me… Ele havia entrado na casa na hora, como se fosse já “de casa”. Assim que me viu na sala, com Ash no colo, foi como um soco nele. Dylan parou na hora, e ficou me olhando, chocado. 
-S-Stella? –Revezou o olhar entre mim, Ashley e depois deu uma olhada pra Austin, de cara feia.
-Oi, Dylan. O que dizia sobre minha treinadora? 

Ele continuou intacto, me olhando. Parecia que tinha virado pedra. Austin também estava meio sem graça, deu pra eu notar.
-E entao Dylan? Aconteceu alguma coisa? 
-N-Nao, claro que nao. –Dylan soltou uma risada esbaforida –Está tudo bem. Ela só queria ter certeza de que estariamos ensaiando tudo certinho.. 
-E por que diabos voce veio dizer isso pro AUSTIN? 
-Ué, ele veio aqui conversar comigo, nao pode? –Austin se pronunciou, chegando mais perto de mim. –Entao, Dylan, era só isso?
-É, eu queria conversar contigo. 
-Bom, vou colocar Ashley pra descansar um pouco lá em cima. 
Subi, dei um banho em Ash, arrumei a caminha dela e em pouco tempo, a mesma dormiu. Aproveitei pra tomar um banho também e coloquei uma camisa de Austin que tinha no banheiro, tenho certeza que ele nao se importaria. Deitei-me na cama que havia no quarto de Ash, ao lado de seu berço, e acabei apagando rapidamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *