Resenha: A paciente silenciosa

Sinopse:

Alicia Berenson é uma pintora internada há seis anos num hospital psiquiátrico judiciário por ter matado o marido e que, desde o assassinato, não fala; Theo Faber é um psicoterapeuta obcecado pela história de Alicia e que consegue ser admitido no hospital como terapeuta.

Crítica:

Esse foi o livro com o maior plot twist que já li, em toda minha vida. Acredito até mesmo que depois eu faça uma re-leitura, porque com certeza será interessante: prestar atenção em detalhes e cenas que deixei passarem batidos, sem eu notar alguma informação.

Confesso que eu estava desestimulada no começo da leitura,que foi até mesmo arrastada por mim. O livro é contado pela perspectiva do psicólogo de Alicia, e também, por partes do diário de Alicia. É muito interessante.

O final do livro, que ficou mais “quente” e atingiu seu ápice com informações sinistras, é que faz o leitor engajar na leitura. Li o livro no final de uma madrugada, não aguentei nem esperar pela minha amiga, que estava em uma leitura coletiva comigo, lendo comigo esse material.

De 0 a 10, 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *