Resenha: Coroa de Papel

Oi, gente, tudo bem?!

Hoje venho trazer uma resenha mais do que especial para mim, resenha do livro de uma grande amiga minha, Isabel Serra.

Vou dividir essa resenha em algumas partes: sobre a autora, sobre ler um livro de uma amiga e sobre o livro em si. Vamos lá? Espero que gostem tanto quanto eu amei e me apaixonei por essa história cativante.

SINOPSE:

Poucos já ouviram falar do Reino das Ilhas de Dramian e o lugar parece um eterno mistério de uma terra perdida no tempo. Por isso, um furacão de novidades invadiu a vida de uma jovem que se mudou do Rio de Janeiro para aquelas Ilhas tão secretas. Junto a isso, ela ainda tem que lidar com os fatos decorrentes da presença de um príncipe em sua vida.
Um conto de fadas ideal? A verdade é que poucos sabem a razão pela qual a única coroa possível de existir na cabeça dela seja feita papel. (ISABEL SERRA)

Sobre a autora

Isabel Serra tem 23 anos, é formada em Jornalismo, carioca que ama viajar por esse mundão e explorar esse Brasil. Com experiência (ampla) no mundo da comunicação, é também escritora e apaixonada pelo Tiago Iorc, aquele cabeludo que canta música de amor. O mar e praias encantam ela de uma forma jamais vista antes, talvez tenha sido sereia na vida passada.

Enquanto isso, é rainha do seu próprio castelo, com a sua coroa de papel.

Sobre o livro

Agora vem o momento mais difícil dessa resenha. Isabel é minha amiga, e eu preciso ser justa na resenha, preciso ser transparente. Então, amiga, quando estiver lendo isso, por favor não me bloqueie no Whatsapp: seu livro é completamente perfeito.

Isabel, por meio de capítulos curtos, bem descritivos, te faz viajar no meio do universo que ela construiu em Coroa de Papel. Foi esperta, não quis entregar muitas informações sobre o passado dos personagens (talvez tenha sido uma deixa para o segundo livro que eu já soube que está por vir), mas não economizou para descrever e montar as personalidades.

A autora fez um paralelo com sua realidade (de carioca) e é inexplicável a tamanha criatividade que teve para montar um universo completamente diferente do qual vivemos, mas ao mesmo tempo, tão parecido, já que entrelinhas o livro aborda alguns temas que são corriqueiros, comuns na nossa sociedade.

Eduarda é uma personagem que, me arrisco dizer, tem muitos traços da minha amiga. Ela é corajosa, se joga de cabeça em um amor que ela sabe que tem certos riscos, é curiosa e apesar de se magoar facilmente, ela não guarda rancor.

Ela vive uma intensa história, com muitos segredos, com o Príncipe Grabren, que nota-se ser completamente sério e formal, mas que nas 100 e poucas páginas do livro, vai perdendo aos poucos sua postura de “durão” e se derretendo por Eduarda, aquela jovem tão fascinante com um vocabulário tão peculiar.

Os dois são de mundos diferentes, tem perspectivas de vidas diferentes (pelo menos no começo da história), mas vivem um amor que é igualmente dividido entre os dois.

Isabel te faz viajar no universo das Ilhas Dramian de tal maneira em que você é capaz de sentir o cheiro da água salgada do mar e do castelo, aonde o Príncipe mora, enquanto lê a trama.

Opinião geral

Ler uma história de alguém próximo é uma experiência surreal. Eu conheci Isabel de uma forma que eu talvez não fosse capaz de conhecer nem em 10 ano de amizade. É incrível como eu vi tanto dela nessa história, e ao mesmo tempo, como a conheci de formas inexplicáveis. É incrível poder ler um livro, experienciar todas aquelas emoções incríveis e poder dividir, em tempo real, com a autora daquela história.

Eu comecei a ler (ler de verdade, um livro atrás do outro, livros grandes) por volta dos 12 anos de idade. E eu ficava fascinada com a criatividade de autores, com a capacidade deles de me levar para outro mundo. Cheguei a tentar contato com vários deles, mas sempre, sem sucesso. Eu, às vezes, só queria dividir meu nervoso, minha empolgação, meus sentimentos sobre aquela obra. E poder ter feito isso com a Isabel foi um puta privilégio.

Minha amiga é uma puta escritora, desculpem o vocabulário, mas eu preciso ser franca.

De 0 a 10?!

11.

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *