Resenha: Lumen

Oi, gente, tudo bem?! Hoje vocês verão a resenha do meu “menos preferido” título dessa quarentena. Espero que o livro seja de agrado de algum de vocês, pelo menos!

Sinopse

A italiana Ben Pastor se especializou em mistérios históricos transcorridos em meio a ocupações militares. Sucesso de público e crítica, Lumen é o primeiro da série de títulos protagonizados pelo oficial Martin Bora, inspirado no coronel nazista Claus Von Stauffenberg, que foi interpretado por Tom Cruise no filme Operação Valquíria. Na Polônia ocupada pelos nazistas de 1939, o oficial alemão Martin Bora encontra o corpo de uma freira assassinada a sangue-frio dentro do convento. A vítima, madre Kazimierza, conquistou uma legião de seguidores graças ao suposto dom da profecia. Através do lema Lumen Christi Adiuva Nos (Luz de Cristo, socorrei-nos), levou conforto a centenas de poloneses angustiados com a ocupação alemã. Quem teria motivos para matá-la? O padre americano Malecki está na Polônia por ordem do Vaticano com a missão de investigar os poderes da madre profeta. Depois da morte de Kazimierza, ele recebe novas ordens: é obrigado a permanecer no país e acompanhar as investigações desse crime brutal. O clérigo e o militar se unem pelo desejo idealista e intenso por justiça. Enquanto os alemães consolidam seu domínio sobre território polonês, desapropriam fazendeiros, espancam civis e enviam judeus para campos de trabalhos forçados, a perseverança e coragem de padre Malecki o levam a territórios políticos perigosos. Ao mesmo tempo, Bora se surpreende com a violência da ocupação e com o fanatismo ideológico dos colegas. Por meio do oficial, Ben Pastor evidencia as inúmeras contradições e dilemas enfrentados por aqueles obrigados a servir a um Estado criminoso. Ao mesclar elementos de thriller psicológico e reflexão existencial, Lumen desafia o leitor a conciliar a fé com a realidade do regime nazista. Como Bernhard Schlink em O leitor, a escritora explora o lado humano dos algozes, e questiona se a descoberta da fragilidade deles legitimaria o imperdoável. (SARAIVA)

Sobre o autor

Ben Pastor nasceu em Roma, em 1950. Mas a carreira de professora universitária – leciona Ciências Sociais na universidade de Norwich – e escritora exigem que ela divida seu tempo entre os Estados Unidos e a Itália. Pela editora Record, publicou O ladrão da água, também com o personagem Aélio Espartano, e Lumen.

Crítica

Como eu preciso ser justa (e não clubista) e falar sobre todos os livros que li, mesmo os que não gostei, decidi insistir e fazer a crítica desse daqui.

Até porque, é um livro interessante para quem ama história, entende e domina o assunto e quem gosta de livros longos.

O livro é longo e eu não digo no sentido do número de páginas. Isso é o de menos, já li livros maiores e em um tempo muito mais curto do que esse daí. O problema é que o autor gosta de ficar pulando as datas durante o livro, e eu, que sou um pouco perdida, fiquei meio confusa durante a história.

O personagem principal, Bora, na minha opinião pessoal, achei um pouco sem personalidade. Sabe aquele livro que você lê e sente que conheceu do fundo do coração aquele personagem? Então, infelizmente, Lumen, não foi um destes.

Durante o livro todo, a autora entregou pouco da história, ocultou detalhes, não quis falar muito sobre os personagens ou o que de fato estava se passando durante todo o crime que aconteceu. Acredito que é um livro perfeito para quem gosta de ler sobre crimes, história, e pesquisar sobre o assunto.

Eu não posso mentir, sou do time do romance e no máximo chego até os sereais killers, mas esse livro me pegou desprevinida.

Eu não costumo largar livros “de mão”: penso que, se comprei, mesmo que não goste, vou ter que ler. E foi o que fiz com esse livro, tapei o nariz e engoli rapidamente ele.

Os capítulos são longos, notei bastante ausência de diálogos, e é contado apenas pela perspectiva de Bora e pela terceira pessoa. Ou seja, não deu para conhecer muito dos outros personagens e ter uma opinião pessoal sobre cada um ou sobre o que acontecera com a freira.

De 0 a 10, 5.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *